Carregando..

Notícias

COMUNICAÇÃO E LIDERANÇA NA ENFERMAGEM: LEIA ENTREVISTA COM ROSIANI DE CASTRO


COMUNICAÇÃO E LIDERANÇA NA ENFERMAGEM: ENTREVISTA COM ROSIANI DE CASTRO(clique para abrir a imagem)

A Coordenadora do Curso de Enfermagem da UNICSUL, Profª Drª Rosiani de Cássia B. Ribeiro de Castro, explica a importância do tema “Comunicação como Estratégia de Liderança”, abordado no 8° Seminário de Ética do COREN-MG. Durante o evento, realizado no dia 9 de março em Belo Horizonte, Rosiani de Castro conduziu uma dinâmica sobre comunicação não-verbal e ressaltou o processo de comunicação como instrumento essencial para a humanização da atenção à saúde.

1) Por que houve necessidade de discutir o tema “Comunicação como Estratégia de Liderança” no 8° Seminário de Ética realizado pelo COREN-MG? Houve alguma mudança comportamental dos profissionais de Enfermagem que tenha levado a essa tendência de discussão?

Rosiani de Castro – Este é um tema sempre atual, que envolve a busca da qualidade da assistência que, por sua vez, não ocorre se não houver a integração dos membros da equipe de saúde. Discutir este assunto no seminário de ética é muito adequado, pois a comunicação eficaz e competente deve ser uma preocupação ética do enfermeiro e sua equipe.
2) A senhora acredita que esse tema é tratado pelos profissionais da área com a devida relevância? Por quê? Caso a resposta seja negativa, o que faltou até hoje para isso?

Rosiani de Castro – Eu diria que às vezes há uma preocupação com as questões técnicas e tecnológicas um pouco maior, mas percebo um claro movimento de reconhecimento da importância da comunicação nas relações interpessoais que ocorrem no âmbito da saúde, impulsionado pelas discussões acerca da humanização da assistência.

3) Um dos principais pontos abordados no Seminário foi a comunicação não-verbal. Como a senhora avalia a evolução desse tipo de comunicação no contexto da Enfermagem nos últimos anos? Atualmente, os profissionais passaram a ter mais consciência de como isso pode influenciar resultados?

Rosiani de Castro – De um modo geral, não prestamos muita atenção na comunicação não-verbal, é cultural valorizarmos a comunicação verbal; entretanto, no processo comunicacional, a maior parte da mensagem é feita pelo não-verbal, quer seja complementando ou substituindo o que é falado, quer seja transmitindo sentimentos, o que é muito importante, pois as mesmas palavras podem ter diferentes significados de acordo com os sentimentos expressados no momento da interação… Assim, pode se erguer barreiras na comunicação pelo não entendimento correto da mensagem. Como afirmei anteriormente, tem havido uma preocupação pertinente dos profissionais da área com a comunicação em geral e a partir de discussões como a que tivemos, vai se despertando para os reflexos positivos e elevando a qualidade da assistência.
4) As especificidades do profissional e do público com quem ele lida são realmente levadas em conta no processo comunicativo hoje em dia?

Rosiani de Castro – Infelizmente nem sempre, alguns profissionais são pressionados por acúmulo, e às vezes condições inadequadas de trabalho, o que prejudica o processo comunicativo. Acontece em algumas ocasiões um descompasso; discursamos sobre a importância disto ou daquilo, mas não conseguimos traduzir a preocupação em ações concretas, ou seja, sermos congruentes com o discurso e a prática.Por isso, também esta se torna uma discussão ética; temos que garantir a assistência de qualidade e individualizada.
5) Como o profissional pode, no dia-a-dia, melhorar seu autoconhecimento para que isso possa refletir positivamente na comunicação e no exercício da liderança? Qual seria o primeiro passo para alcançar esse objetivo?

Rosiani de Castro – Acredito que o primeiro passo seja a educação continuada e participação em eventos como este, em que o individuo é estimulado constantemente a refletir, aperfeiçoar-se e atualizar-se. O líder deve estar constantemente atento ao feedback de sua equipe; quanto mais consegue elevar seu autoconhecimento, conhecendo seus limites e potenciais, agindo com congruência, como já mencionado, mais condições terá de exercer a liderança de modo competente.
6) Em que medida a realização do Seminário pôde contribuir para uma melhoria nas atitudes comunicativas dos profissionais de Enfermagem? Qual é a sua expectativa diante da recepção do que foi exposto durante o evento?

Rosiani de Castro – Fazendo parte de um grupo de estudos sobre comunicação, percebo o quanto é importante ter espaços como este para compartilharmos experiências, para refletirmos sobre nossas ações cotidianas; assim, minha expectativa é ter conseguido plantar “sementes”, sensibilizar para a importância da comunicação na liderança e no dia-a-dia profissional, para que cada um que esteve no seminário possa discutir com sua equipe e reproduzir as idéias para que as sementes frutifiquem.

COREN-MG DISCUTE ÉTICA E COMUNICAÇÃO EM SEMINÁRIO