Carregando..

Notícias

Exerça o voto consciente


Eleições próximas, o cenário político não é animador. Em meio às crises econômica e política que assolam o país, muitos brasileiros estão descrentes na possibilidade de mudança. No entanto, dentre a diversidade de nomes a deputado estadual e federal, governador, presidente e senador, é necessário manter a esperança e buscar exercer o voto consciente em candidatos comprometidos com a Enfermagem e com a saúde pública. 
 
É preciso ter em mente que as eleições deste ano determinarão o futuro dos estados e do país pelos próximos quatro anos e, neste contexto, a Enfermagem possui um papel essencial. Com quase dois milhões de eleitores, a categoria tem de se conscientizar da sua força e de sua responsabilidade.
 
Apesar de ser uma difícil decisão, procure ter na hora do voto, uma consciência crítica, buscando entender os projetos e ideias dos candidatos. Será que há recursos disponíveis para que ele execute o projeto proposto, caso chegue ao poder? Nos mandatos anteriores ele cumpriu o que prometeu? Estes são alguns dos questionamentos que podem ser feitos.
 
Uma importante ferramenta nesse sentido é a internet, meio pelo qual é possível pesquisar o candidato. E para saber se ele tem a ficha limpa, acesse o site Divulgação de Candidaturas e Contas Eleitorais do TSE, clicando aqui.
 
Somente elegendo candidatos comprometidos com a Enfermagem será possível a aprovação de projetos de lei essenciais para a categoria, como os que seguem abaixo:
 
Estaduais:
691/2015: fixa em 30 horas a carga de trabalho semanal de enfermeiros, técnicos e auxiliares de enfermagem e parteiras, 
1032/2015: estabelece piso salarial regional para a categoria.
380/2015: estabelece parâmetros para o dimensionamento dos profissionais da enfermagem.
 
Federais:
2295/2000: fixa em 30 horas a carga de trabalho semanal de enfermeiros, técnicos e auxiliares de enfermagem e parteiras.
459/2015: estabelece um piso salarial para a categoria.
PL 4998/2016: dispõe sobre condições dignas de repouso dos profissionais de Enfermagem durante o plantão.

Lembramos que o Conselho Federal de Enfermagem (Cofen) e os Conselhos Regionais não têm como atribuição legal deliberar sobre negociação salarial, normatização da jornada de trabalho e cumprimento de acordos trabalhistas e insalubridade. Porém, apoiamos todas as iniciativas que valorizem a prática da Enfermagem Brasileira junto às demais entidades que a representam.