Carregando..

Notícias

Trabalho de enfermeiro pode melhorar condições de vida de moradores de Valadares


Avaliação de referenciamento de casos positivos de H. pylori gera conscientização acerca da importância do tratamento da água 

Data da publicação: 11/12/2019

A Enfermagem está repleta de iniciativas que modificam a realidade da população. Uma delas é a “Pesquisa sobre Infecção por H. pylori”, desenvolvida pelo enfermeiro Leonardo Oliveira Leão e Silva em Governador Valadares. Professor adjunto do curso de Medicina e do mestrado Gestão Integrada do Território da Universidade Vale do Rio Doce (Univale), ele é especialista em Saúde Coletiva com ênfase em Atenção Básica e em Saúde Mental, mestre em Gestão Integrada do Território e doutor em Saúde Coletiva. O trabalho foi apresentado no 22º Congresso Brasileiro dos Conselhos de Enfermagem (CBCENF), realizado em novembro, em Foz do Iguaçu (PR).

O ponto de partida para desenvolver a pesquisa foi uma avaliação de referenciamento de casos positivos de H. pylori em Governador Valadares, mais especificamente na região dos de córregos do Melquíades e dos Prazeres. “Observamos que existe uma alta prevalência de pessoas com esta bactéria, que é uma das precursoras de doenças gástrica, o que é preocupante”, contou Leonardo Silva. 

Durante o trabalho também foram levantados quais fatores de risco que estavam associados à transmissibilidade da bactéria, além de fazer uma avaliação espacial da presença dela. “Observamos que a transmissão dela está correlacionada à presença de pequenos afluentes ali na região, além de questões socioeconômicas da população, como precariedade das fossas”, informou o enfermeiro.

De acordo com ele, poucas pessoas possuem fossas adequadas e cerca de 38% da população despeja todos os seus dejetos nos mananciais. “É como se uma pessoa tivesse um banheiro na parte alta da cidade e logo abaixo outras pessoas utilizasse a mesma água para regar uma horta, para usar dentro de casa, tomam banho. Não há uma avaliação da água que é consumida”, constatou.

Diante deste cenário, a parte posterior do trabalho consiste na avaliação da água utilizada e se ela pode, realmente, estar sendo um veículo de transmissão do H. pilory. “Há perspectiva de fazer apresentação para a Secretaria Municipal de Saúde, que autorizou que fosse feito esse trabalho, demonstrando os resultados, buscando apoio para realizar os testes em todas as águas da região e, de certa forma, implementar a construção de fossas para melhorar as condições de vida da população”, detalhou Leonardo Silva.

Juntamente com o projeto foi produzida uma cartilha, no formato de história em quadrinhos, para conscientização da população em relação à importância da qualidade da água e como cuidar do recurso para evitar a transmissibilidade da bactéria. O material é uma iniciativa da Educação Popular em Saúde e vincula-se à dissertação de mestrado “Práticas de cuidado em saúde: traços culturais no território do Melquíades”, defendida em 2016 por Darlianne Nadine da Silva no Programa de pós-graduação em Gestão Integrada do Território da Univale, sob orientação da professora Maria Celeste Reis Fernandes de Souza. O material pode ser conferido clicando-se aqui.