Publicador de Conteúdos e Mídias

CARTA ABERTA À REDE GLOBO

:: CARTA ABERTA À REDE GLOBO

Repúdio à série “SOB PRESSÃO”

 

Belo Horizonte, 3 de agosto de 2017

 

O Conselho Regional de Enfermagem de Minas Gerais (Coren-MG) vem a público manifestar sua indignação relativa à série “Sob Pressão”, da Rede Globo. A produção, que trata do cotidiano dos profissionais da rede pública de saúde, centraliza todo o processo de assistência na figura do médico. Tal atitude transmite uma ideia equivocada, que não condiz em nada com a realidade, uma vez que são os profissionais de enfermagem que têm em sua essência o cuidado.
 
São os enfermeiros, técnicos e auxiliares de enfermagem que se dedicam a promover, manter e restabelecer a saúde das pessoas, trabalhando em parceria com profissionais tais como médicos, nutricionistas, psicólogos, entre outros. A enfermagem é indispensável em hospitais, unidades de saúde, bem como em clínicas, além de estar apta a prestar atendimento domiciliar.
 
Os profissionais de enfermagem também são responsáveis pela coleta de dados sobre o estado de saúde do paciente e pela higiene, alimentação, administração de remédios e pelos curativos. No campo da saúde coletiva, atuam em comunidades, na prevenção de doenças ou fazendo trabalho educativo.
 
Enfim, a enfermagem é a única categoria que está 24 horas por dia ao lado do paciente, ouvindo suas angústias e dores, e em troca tem enfrentado a desvalorização e a falta de reconhecimento, que são reforçadas pela série “Sob Pressão”. São exaustivas jornadas de trabalho, remunerado com baixos salários, subdimensionamento de profissionais em relação à demanda de pacientes e atendimento, falta de insumos, estruturas e condições dignas de trabalho, além de uma epidemia de violência.
 
Para combater esse tipo de realidade, em busca de um piso salarial digno e uma jornada de trabalho regulamentada, o Coren-MG tem sido incansável em seu trabalho, unindo-se a entidades sindicais e associações. Uma dessas iniciativas foi a criação, em maio de 2015, do Fórum Mineiro das Entidades, que tem como objetivo lutar pela regulamentação das 30 horas, pelo estabelecimento de um piso salarial e de parâmetros para o dimensionamento dos profissionais da enfermagem. A mobilização conseguiu importantes conquistas para a categoria, como a redução da carga horária dos servidores públicos estaduais da saúde do Estado de Minas Gerais, com prioridade para a enfermagem.
 
Além do Fórum, por melhores condições de trabalho para os profissionais de enfermagem e a fim de oferecer um melhor atendimento para a população brasileira, o Coren-MG solicitou a aprovação, em nível federal, dos Projetos de Lei 2295/2000, que fixa em 30 horas a carga de trabalho semanal de enfermeiros, técnicos e auxiliares de enfermagem e parteiras; 459/2015, que estabelece um piso salarial para a categoria; 4998/2016, dispõe sobre as condições de repouso dos profissionais da enfermagem durante o horário de trabalho; 2891/2015 – proíbe a formação de técnico e enfermeiro por Ensino à Distância (EaD); 4930/2016, trata da obrigatoriedade da realização de exame de suficiência para obtenção de registro profissional.
 
Em nível estadual, solicitou a aprovação dos Projetos de Lei 691/2015, que fixa em 30 horas a carga de trabalho semanal de enfermeiros, técnicos e auxiliares de enfermagem e parteiras, 1032/2015, que estabelece piso salarial regional para a categoria, e 380/2015, que estabelece parâmetros para o dimensionamento dos profissionais da enfermagem.
 
Desta forma, considerando o alcance da televisão nos lares e no imaginário coletivo, mesmo sendo uma obra de ficção, tendo em vista a essencialidade da enfermagem não só na saúde pública, como na iniciativa privada, esperamos que a produção da série “Sob Pressão” reveja a ótica adotada na trama, de maneira a retratar o papel e a importância de enfermeiros, técnicos e auxiliares nas equipes de saúde, a fim de contribuir para a valorização e o reconhecimento da categoria.