Publicador de Conteúdos e Mídias

angle-left Coren-MG participa de movimento contra EaD na saúde

Marcado pela unanimidade da posição contrária ao ensino a distância (EaD) na área da saúde, o 1º Encontro de Presidentes de Conselhos de Fiscalização Profissional da Área de Saúde de Minas Gerais foi realizado no dia 5 de abril, no Conselho Regional de Fisioterapia e Terapia Ocupacional da 4ª Região (Crefito-4), em Belo Horizonte. A data do evento foi escolhida pela proximidade com o Dia Mundial da Saúde e o 70º aniversário da Organização Mundial da Saúde (OMS), celebrados no dia 7 de abril. Durante o encontro, foi apresentado o vídeo com depoimentos dos dirigentes dos conselhos da área da saúde contra o EaD.  

O encontro dos conselhos tem como objetivo a criação de um cenário para a discussão de pautas da área de saúde de destaque nacional, como é o caso do ensino à distância. O encontro também marca a criação do Fórum de Presidentes dos Conselhos de Fiscalização Profissional da Área de Saúde de Minas Gerais, que tem o objetivo unir dirigentes regionais em torno de temas relevantes para as categorias.

Representantes dos Conselhos de Saúde do Estado de Minas Gerais

A vice-presidente do Coren-MG, enfermeira Lisandra Caixeta de Aquino, representou o Conselho na reunião. Ela explica qual a importância da participação da autarquia em iniciativas como essa. “O Coren-MG representa uma grande força de trabalhadores da saúde, são 185.000 profissionais de enfermagem no estado, e sua participação é fundamental para discussões de pautas que repercutem na assistência direta ao usuário e sociedade. Uma delas, que é de relevância nacional, é o ensino à distância para cursos da área da saúde”. 

Disciplinar o exercício profissional da enfermagem é uma das finalidades do Coren-MG. Conforme Lisandra Aquino, a modalidade de ensino à distância na área de enfermagem pode acarretar no aumento de erros técnicos e assistenciais, culminando em um número maior de processos éticos. “A questão é: como vamos garantir qualidade na assistência prestada por profissionais que se capacitaram a distância, ou seja, longe do professor e do paciente? Sabemos que erros e óbitos irão aumentar em decorrência dessa falta de capacitação adequada”, diz.  

Ainda de acordo com a enfermeira, para o combate ao EaD na saúde é necessário uma série de atos. “O Fórum propõe ações ligadas aos poderes Legislativo e Judiciário. Do ponto de vista Legislativo, temos um projeto de lei (PL 5414/16) que está em tramitação na Câmara dos Deputados, no qual estabelece limites para essa prática”, explica.

O vídeo contou com a participação dos dirigentes do Crefito-4, do Coren-MG e dos conselhos de Farmácia, Fonoaudiologia, Psicologia, Assistência Social, Medicina, Educação Física, Nutrição, Odontologia, Biologia, Biomedicina e Radiologia. Ele será exibido em nossa página do Facebook (clique aqui), no dia 12 de abril (quinta-feira), ao 12h.


Fonte: Coren-MG e Crefito-4