Publicador de Conteúdos e Mídias

angle-left Coren-MG promove conciliações com inscritos

Data da publicação: 11/07/2019
 

Um convênio entre o Coren-MG e o Centro Judiciário de Conciliação (Cejuc) tem possibilitado aos inscritos que estão sendo cobrados judicialmente por dívidas com o Conselho que regularizem sua situação. A parceria foi realizada após encontro entre representantes de conselhos de fiscalização e o coordenador do Centro Judiciário de Conciliação e Cidadania de Minas Gerais, juiz federal Ricardo Machado Rabelo.
 
A ação tem por objetivo auxiliar na promoção das conciliações para oferecer oportunidade de diálogo com os inscritos que possuem débitos em juízo com o Coren-MG. A iniciativa começou em abril deste ano, quando foram realizadas 50 audiências de tentativa de acordo. Em junho e julho, serão realizadas cerca de 200 audiências somente em Belo Horizonte e 500 em todo o Estado.
 
A fim de solucionar pendências financeiras com o Coren-MG, o Cejuc seleciona os processos em que há a possibilidade de acordo e envia o convite ao inscrito, com a data e horário da audiência. Na ocasião, o profissional poderá expor suas condições e fazer uma negociação que atenda sua capacidade financeira para que possa, assim, regularizar sua situação perante o órgão.
 
“É importante esclarecer que o profissional convidado não é obrigado a firmar um acordo com o Coren-MG, mas seu comparecimento será importante para expor sua situação perante o conciliador e regularizar alguma outra questão pendente”, ressalta o procurador geral do Conselho, Hudson de Oliveira Cambraia.
 
A expectativa é que durante o ano de 2019 sejam realizadas conciliações em Belo Horizonte, Contagem, Muriaé e Teófilo Otoni. Se o inscrito convidado não puder comparecer à audiência, deverá entrar em contato com o Cejuc pelo telefone (31) 3501-1835 ou com a Procuradoria Geral do Coren-MG, por meio do e-mail procuradoria@corenmg.gov.br, informando seu interesse em participar da conciliação em outra data ou em negociar o seu débito.
 
Uma das pessoas que aderiu à conciliação foi a auxiliar de enfermagem Pedrelina de Fátima Freitas David que, no dia 4 de julho, esteve na Justiça Federal para negociar seu débito. Aposentada desde 2004, ela contou que não deu baixa no registro do Coren-MG na época e, como mudou de endereço há 15 anos, não estava recebendo as correspondências. Localizada por um vizinho, assim que soube do débito, buscou a conciliação, que avaliou como satisfatória. “Demorou, mas consegui fazer uma coisa que está no meu orçamento”, disse.
 
A técnica de enfermagem Patrícia das Graças Vaz também optou pela conciliação e considerou o procedimento “muito tranquilo”. Ela atribuiu a dívida à falta de tempo e disponibilidade de ir até o Coren-MG para negociar. “Na verdade, você pensa assim: “Coren eu vou pagar depois”. E vai passando. Falei na conciliação que tomei um susto, pois achava que devia dois ou três anos, mas foram cinco no total. Pensei que iria para o Serasa,” ressaltou.
 
Uma solução apresentada por Patrícia Vaz para facilitar o acesso do inscrito à negociação de débitos seria a implantação de unidades móveis. “Era melhor. Acho que resolvia mais. Até condição de pegar ônibus, vir no centro, na rua da Bahia resolver. Geralmente, de dia é mais difícil, porque você sai do plantão e à noite quem deu plantão não vai vir no Centro para resolver essas coisas”, sugeriu.
 
Coren Itinerante vai aonde o inscrito está – Criado em 2018, o projeto tem como objetivo realizar atendimentos descentralizados em locais nos quais o Conselho não possui subseção, posto conveniado da Unidade de Atendimento Integrado (UAI), representantes ou em lugares em que há grande demanda de atendimento. Por meio do Coren Itinerante é possível renovar a carteira profissional, emitir certidões, boletos e termos, atualizar dados cadastrais, negociar débitos e obter orientações diversas. Mais informações: corenitinerante@corenmg.gov.br