Publicador de Conteúdos e Mídias

angle-left Enfermagem na prática

Simulação realística possibilita que estudantes vivenciem situação de assalto com vítimas

No curso de Enfermagem, é essencial que o aluno aprenda não só na teoria, mas na prática o exercício profissional. A fim de viabilizar esse aprendizado, a PUC Minas Coração Eucarístico realizou, no dia 26 de abril, seu 3º Simulado de Trauma com Múltiplas Vítimas. A atividade, promovida pelo colegiado de Enfermagem da instituição e organizada pela Liga da Enfermagem de Urgência, envolveu cerca de 80 alunos e contou com a participação do Corpo de Bombeiros Militar, Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (Samu), Polícia Civil e Batalhão de Operações Especiais (Bope), Brigada de Incêndio da PUC Minas, além da presença de conselheiro do Coren-MG.

 Os alunos da Liga da Enfermagem de Urgência foram tutorados por um grupo de docentes coordenado pelo professores Daniel Fernandes e Érika Leitão Azevedo Massimo. Segundo ele, na atividade de extensão universitária foi reproduzido um acidente com múltiplas vítimas. “Simulamos a cena de um assalto à mão armada a um banco que fica dentro da faculdade. Os assaltantes, na intenção de abrir o cofre, explodiram alguns artefatos, atingindo o andar superior, onde ficaria um restaurante, e a canalização de gás. Houve uma grande explosão, gerando cerca de 20 vítimas, graves e instáveis, e também vítimas com menor grau de gravidade”, conta.
 
Segundo o coordenador do curso de Enfermagem da PUC Minas, professor Júlio César Batista Santana, um dos objetivos da atividade foi possibilitar o treinamento de habilidades e a formação de competências para o atendimento em situações de urgência e emergência. “Isso, em cenários de crise com múltiplas vítimas, no ambiente pré-hospitalar, atendendo ao preceito de uma educação problematizadora e do uso de recursos de simulação realística”, acrescenta.
 
Daniel Fernandes explica que a simulação realística é uma ferramenta de metodologia ativa de ensino que possibilita um maior grau de aprendizado e absorção do conhecimento. “Precisamos evoluir continuamente a forma de ensino, e hoje em dia é sabido que o adulto aprende muito melhor quando pode viver uma experiência, do que com métodos tradicionais. A absorção do conhecimento, quando possibilito uma vivência real, uma experiência, para o adulto, é muito maior”, justifica.
 
Outro destaque da atividade foi seu caráter multiprofissional, por envolver estudantes de outras áreas da saúde, como Medicina e Odontologia. De acordo com Daniel Fernandes, esta característica é muito importante para possibilitar ao aluno, desde a academia, desenvolver a capacidade de relacionamento com outros profissionais. “Isso melhora vários quesitos que hoje temos como pontos problemas, como a comunicação entre os membros da equipe multiprofissional, que é, inclusive, uma meta internacional de segurança do paciente”, acrescenta.
 
Para o primeiro-secretário do Coren-MG, enfermeiro Érico Barbosa Pereira, que esteve na atividade, a simulação foi uma ótima oportunidade para mostrar à sociedade e aos estudantes de outras áreas a importância da profissão de Enfermagem. “O Coren-MG apoia todas as ações que visam à capacitação dos estudantes e profissionais”, ressalta.