Publicador de Conteúdos e Mídias

angle-left Nota de pesar

Data da publicação: 07/06/2019

É com imenso pesar que o Conselho Regional de Enfermagem de Minas Gerais (Coren-MG) comunica o falecimento da freira Wilhelmine Antonia Gertrud Lahrkamp, mais conhecida como Irmã Arnhild, ocorrido nesta quinta-feira (27), em decorrência de complicações causadas por uma anemia profunda.   

Recentemente, durante a Semana da Enfermagem 2019, o Coren-MG prestou uma homenagem especial à Irmã Arnhild por sua trajetória profissional de total devoção  à Enfermagem, profissão a que se dedicou durante 64 anos de sua vida.   
 
Nascida em 1933, na Alemanha, Irmã Arnhild se formou em Enfermagem em 1955.  Três anos depois, iniciou sua vida religiosa no Monastério do Divino Espírito Anto (Heilig Geisthloster), em Wimbern. Em 1961, fez seus votos e, no mesmo ano, foi enviada ao Convento da Santíssima Trindade, em São Paulo. Dois anos depois, a freira chegou a Belo Horizonte para integrar a comunidade das Irmãs do Sagrado Coração de Jesus. Em 1965, entrou para a Irmandade Missionárias Servas do Espírito Santo e começou sua história na Santa Casa de Belo Horizonte.

No hospital, Irmã Arnhild fez história. Uma delas foi especial: sua relação com as gêmeas siamesas Sandra e Sônia Souza Silva, primeiro caso bem-sucedido de separação cirúrgica realizado no hospital. Naturais de Lima Duarte, município da Zona da Mata mineira, as irmãs chegaram ao hospital em 1984. Por se tratar de um procedimento de alto risco, elas ficaram internadas por um ano e seis meses antes de se submeterem à cirurgia para separação. Sônia e Sandra passaram os primeiros anos de vida na creche João Paulo II, fundada em 1980 pela Irmã Arnhild e pelo então provedor da Santa Casa, Edgard Quinet. Sob os cuidados das irmãs Missionárias Servas do Espírito Santo, em especial Irmã Arnhild, elas permaneceram internadas por 12 anos. Atualmente, são casadas, têm filhos, e sempre mantiveram contado com a freira.