Carregando..

Notícias

Zema, não faltam profissionais, falta valorização. Pague o que pagou para os médicos!


Para o mesmo fato, duas versões diferentes.
 
É o que parece possível entender da postura do governo de Minas, quando se trata de valorizar e atender às demandas da Enfermagem mineira, sobretudo se nos atentarmos para matéria publicada no jornal Estado de Minas.
 
Explicamos melhor.
 
Recentemente, em ofício, o governo de Minas nos disse, sem meias palavras, que não concederia gratificação aos profissionais de Enfermagem, a exemplo do que ocorreu para os médicos, por meio do Decreto 47.914. Para o governo, isso não se faria necessário, uma vez que as vagas se preenchem sem dificuldades.
 
Agora, vamos à declaração do representante do governo para a mídia: “Estamos caminhando para uma dificuldade real de recursos humanos para ampliarmos esses leitos”, disse ao jornal o secretário de Estado de Saúde, Carlos Eduardo Amaral.
 
No texto, o jornal Estado de Minas assim se refere à declaração do secretário: “Carlos Eduardo se refere à contratação de médicos, enfermeiros e técnicos de enfermagem”.
 
Vale lembrar, ainda, que no ofício do governo do estado de Minas enviado ao Coren-MG consta a seguinte afirmação:
“Até o presente momento, não se vislumbra possibilidade ou necessidade de contratação de profissionais de Enfermagem”.
 
Assim, mais uma vez, o Coren-MG reforça o pedido ao governador Romeu Zema para que receba a Enfermagem de Minas Gerais, da mesma forma que tem feito em relação diversos nomes e instituições. A Enfermagem mineira clama para que estas informações sejam elucidadas, ao mesmo tempo em que reitera a necessidade de que devemos conversar também, entre outras coisas, sobre o piso salarial para a categoria. São 200 mil profissionais cobrando explicações para a falta de valorização do Estado para com a categoria.
 
Profissional de Enfermagem, tal como anteriormente, continue usando a hashtag #ZemaRecebaOCorenMG e vá até as páginas do governador cobrar uma ação pela categoria.
 
Somos mais fortes juntos, pois #SemEnfermagemNãoTemBrasil e todos nos ouvirão.